segunda-feira, 8 de novembro de 2010

****
Ele parece estar offline e irá receber suas mensagens quando conectar

“Sobe, janelinha, sobe!!” Fazia tempo que eu não desejava tanto isso. Aliás, fazia tempo que eu não policiava tanto minhas redes sociais. Depois da varredura completa que inclui orkut, google e facebook, solicitacões de informação a amigas próximas, finalmente consegui encontrar algo que me conectasse a você. E, desde então, meu messenger vive sempre “Disponível”, meu Facebook sempre aberto. Pra não perder o contato. Pra não perder mais nenhuma oportunidade.

Meu novo vício é descobrir o que você pensa, faz, gosta. Depois daquela noite, não há um dia que eu não me pergunte “O que está acontecendo comigo?”

Ai tu podes me perguntar: “Do que você está falando? Não aconteceu nada demais em nenhum dia, em nenhuma noite.” Ai é que está. Acho que se tivesse acontecido, eu não estaria escrevendo isso agora. Aliás, pra mim, aquela noite, aquela última noite, foi muito surpreendente. Eu não fui, nem de longe, a mulher determinada, ousada, que super toma todas as iniciativas, essa imagem aí que eu vendo no mercado a preço de banana. Sim, eu senti vontade de te beijar, mas minhas mãos suavam e eu não sabia exatamente o que fazer, o que dizer, eu só sentia uma coisa estranha que mais pareciam borboletas no estômago. A maioria das pessoas interpretam isso como sintomas de quem está apaixonada, mas eu sempre fico assim quando estou nervosa. Eu só não tinha porquê estar nervosa. Ou tinha? Sei lá, nosso papo era tão livre que não parecia ter a pretensão de causar essas reações. Mas causou. Eu me sentia perto e te contei coisas que não me lembro de ter conversado com outras pessoas. Assim, me senti vulnerável. Tive medo.

E a carona, o jantar...Desastrada, me atrapalhei com os molhos, me sujei toda. Eu tentava disfarçar e ao mesmo tempo pedia pra aquele momento acabar logo ou começar de outro jeito porque eu tava pra explodir. Mas também desejava que ele não acabasse. Afinal ele poderia ser a única lembrança dessa história toda.

Ainda bati a cabeça na árvore em frente ao prédio da minha amiga , distraidamente pensando em o quanto eu não me reconhecia ansiosa daquele jeito. Afinal, era só mais um garoto legal que eu conhecia numa dessas minhas muitas viagens. Será se é só isso mesmo? Sobram dúvidas, não tenho respostas.

Ainda bem que esse nervosismo todo passou. Mas restam as borboletas no estômago. Me faz bem saber sobre você. O que está acontecendo? Ainda me pergunto. Mas não busco mais respostas pra isso. Nossos papos no msn sempre me deixam sorrindo na frente do computador. E aquela história lá de que eu não gosto de webcam... é que realmente eu ficaria bem tímida em saber que você estaria aí do outro lado observando todas as minhas reações. Minha cara de boba denunciaria meu encantamento, muito embora eu já o tenha confessado em mais de uma oportunidade.

E foi bom saber que, em alguma medida, você se interessa por isso. Que o seu “até amanhã” é o compromisso de que sempre estaremos em contato. É bom saber que você está aí, do outro lado da tela. Mesmo sem saber o que tudo isso significa pra você, escolhi te dizer tudo que se passou e o que sinto, mas não pra te convencer de alguma coisa. Até porque ainda não descobri o que quero. Não tenho pressa. Acho que só queria que você soubesse.

É isso. Que seja doce.


Ele parece estar offline e vai receber suas mensagens quando conectar.

****

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Mensagem instantânea

Ele parece estar offline e receberá suas mensagens quando conectar.


Então tá... ponho-me a escrever como se tu estivesses ai do outro lado da tela. Olá! E ai, como vão as coisas? Sua mãe está bem? Que legal que seu irmão voltou!Aliás, ele mora com vocês ou veio a passeio? Se ele mora com vocês, viaja mais do que eu! Em mais de uma oportunidade, ouvi falar que ele havia chegado! E olha que a gente se conhece tem nem um mês... pra falar a verdade, desde a nossa única conversa olho no olho passaram-se apenas 15 dias. Nossa, parece tão mais tempo! Realmente uma pena que eu não tenha aparecido pra gente continuar aquele papo. Falando em papo, incrível como ele fluiu entre a gente, né? Sabe, não costumo falar sobre aquele assunto com ninguém, ainda mais sendo alguem que eu acabei de conhecer. Fico constrangida, sabe?! Interessante que você tenha vivido uma experiencia semelhante. Semelhante, mas diferente. Por que, no seu caso, ainda existe amor. E você, está pronto para um novo amor? Lembro que nossa conversa no ônibus começou quando você se juntou ao papo despretensioso sobre Pegar ou não Pegar em encontros...Na verdade, lembro-me que, naquela festa, quando eu te notei pela primeira vez, você chegou e perguntou “Por que os homens sempre tem que tomar a iniciativa?” Naquele momento, eu só repeti o que eu repito pra todo mundo “Quando estou com vontade, eu sempre tomo iniciativas...” Naquela hora, só achei que você fosse um bêbado chato que não conseguia pegar a menina que tava afim e queria arrumar uma desculpa. Nãao, eu não acho que você seja um bêbado chato. Só achei naquela hora. SÓ naquela hora. Depois não. Nem agora. Agora eu te acho muito interessante! E olha que eu só te conheço um pouquinho. Mas todo mundo fala tão bem de você! Sempre enaltecendo sua inteligência. A verdade é que, perto de você, eu me sinto burra. Porque você sempre cita livros, autores, músicas, músicos, filmes e cineastas que eu não conheço. E como eu fico com vontade de conhecer! Me ajuda? Me indica algumas coisas? Por onde eu começo? Eu acho que a gente pode começar com você me apresentando o tipo de música que você gosta! Adoro conhecer músicas diferentes. Como eu já disse, sou tão clichê. Acabo gostando de tanta coisa que muita gente gosta. Eu falo tanto, né? Aff, sou exagerada demais. Mesmo você tendo me dito que gosta de ouvir o que eu tenho a dizer, eu não acreditei. Acho que você só disse isso por educação. Aliás, você é um gentleman. Sua mãe está de parabéns! Aliás, como é mesmo o nome dela? Você deu meu recado a ela? Nossa, sua mãe é muito legal! Eu já disse isso também, né? Já agradeci pela carona? E pelo jantar? Se já, agradeço de novo, foi muito gentil da parte de vocês. Voltando àquele dia, como foi que o papo passou de “pegação” à “relações de família” ?? Ah, foi quando falávamos dos nossos avós...Ai, adorei o papo. Sério mesmo! Mas você nem me disse, pegou aquela menina? Fala sério...se você desse moral pra mim, nunca que perderia uma oportunidade dessas. Falando em pegação, bem provável que a gente se reencontre antes do carnaval. Pegação = carnaval... eheheheh Entendeu, entendeu? Ai ai... Ei, tenho que ir...vou ali jogar futebol com as amigas! Sim, ehehehe eu jogo futebol com as amigas! Depois a gente conversa mais!! Beijos...Tchau! Boa Noite!



Ele parece estar offline e receberá suas mensagens quando conectar.

reativando o blog

nem lembrava mais que tinha feito este blog... mas gostei do endereço e resolvi continuar...
vamos ver o que sai!

sábado, 14 de julho de 2007

Pois é...escrevendo eu aqui algumas linhas.
Só pra colocar aqui no blog.
Só porque eu prometi pra mim mesma que não ia deixar ele assim abandonado na primeira semana...
E já tou quase cansando...
Porque bom mesmo é escrever a noite, depois que a gente chega da festa meio bêbada, ou quando ficamos em casa no sábado a noite, com um copo de vinho na frente do pc....
Porque aí a gente ouve los hermanos até chorar e depois ouve um pouco de Zeca Baleiro...
Aí tem também uma música legal que eu aprendi em São Luís...
”Se não existisse o luar/o homem viveria na escuridão/ mas como existe tudo isso meu povo/eu vou guarnicer o meu batalhão de novo”
Ah...tem o Teatro Mágico...
E eu que ia escrever só uma coisinha pra postar no blog e já falei até do Boi da Maioba.
Outro post falo sobre isso.

terça-feira, 10 de julho de 2007

...um blog

É...
resolvi voltar a escrever um blog.
Geralmente eu escrevia umas duas semanas e aí , esquecia, deixava de lado...Mas hoje não é segunda feira, não é primeiro dia do ano...então talvez dê certo.
Porque o dia D é sempre aquele em que a gente toma atitudes.